Estatística pesqueira nas lagoas de Araruama e Saquarema já aponta primeiros resultados

Os recenseadores treinados para fazer a Estatística Pesqueira,  juntos com os representantes da pesca na região (Foto: Michele Maria)

Os recenseadores treinados para fazer a Estatística Pesqueira, juntos com os
representantes da pesca na região (Foto: Michele Maria)

Um trabalho inédito de Estatística Pesqueira nas lagoas de Araruama e Saquarema, com objetivo de monitorar e acompanhar todo o processo produtivo da pesca local, foi lançado no início de ano, através de uma parceria entre o Comitê de Bacia Lagos São João (CBHLSJ), o Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ) e a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (FIPERJ), vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca. O termo de cooperação foi assinado durante evento anual de avaliação das ações ambientais na região, realizado no Teatro Municipal de São Pedro da Aldeia, quando também foram renovadas as diretorias do CBHLSJ e CILSJ.

A Estatística Pesqueira está inserida na meta de reverter o quadro de declínio pesqueiro na região, que há muito sofre com a degradação dos sistemas lagunares e assiste a diminuição do estoque de pesca, uma realidade que compromete não só o equilíbrio ecológico, mas também o econômico e o social. Iniciado em 17 de janeiro, o projeto, conta inicialmente com 15 coletores capacitados, que já estão atuando em 26 pontos na Lagoa de Araruama, num total de 5 municípios – Arraial do Cabo, Cabo frio, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande e Araruama – e em 7 pontos na Lagoa de Saquarema.

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, anunciando a Estatística Pesqueira nas lagoas de Araruama e Saquarema (Foto: Edimilson Soares)

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, anunciando a Estatística Pesqueira nas lagoas de Araruama e Saquarema (Foto: Edimilson Soares)

A experiência da equipe de profissionais, responsáveis pelos dados oficiais da produção pesqueira do Rio de janeiro, dá ao projeto segurança no desenvolvimento das ações, graças ao termo de cooperação técnica assinado entre o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, o presidente da FIPERJ, José Bonifácio, e o prefeito de São Pedro da Aldeia e presidente eleito do CILSJ, Cláudio Chumbinho. Em menos de um mês, os primeiros dados do monitoramento parcial já são conhecidos, num total de 27.151 kg de pescado desembarcados.

O município de São Pedro da Aldeia é o principal ponto de desembarque das duas lagoas, com 12.611 kg, sendo 10.414 kg de peixes e 2.197 de crustáceos. Em seguida, vem Araruama, com 4.413 kg de peixes; depois, Arraial do Cabo, com 3.779 kg de peixes e 14 kg de crustáceos; Saquarema, com 2.553 kg de peixes e 317 de crustáceos; Cabo Frio, com 2.603 kg de crustáceos; e Iguaba Grande, com 861 kg de peixes. A Estatística Pesqueira vai viabilizar pesquisas, acompanhamento de peixes e crustáceos, inclusive identificando o momento ideal para o defeso das espécies e, nas palavras de Felipe Peixoto, “tornar o estado do Rio no melhor local para a instalação de empresas ligadas ao setor pesqueiro”.

Comments are closed.