Microbacias do Rio Roncador e Rio Capivari recebem visitas técnicas

Técnicos de países africanos puderam conferir as ações na microbacia do Rio Roncador e fizeram visita ao Viveiro Comunitário, em Saquarema. (Foto: Edimilson Soares)

Técnicos de países africanos puderam conferir as ações na microbacia do Rio Roncador e fizeram visita ao Viveiro Comunitário, em Saquarema. (Foto: Edimilson Soares)

O Programa Rio Rural recebeu a visita de representantes de projetos de desenvolvimento rural de países africanos, Uganda, Burundi, Ruanda, Tanzânia e Gambia, e organismos internacionais FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) e IFAD (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola), que vieram conhecer experiências bem sucedidas, boas práticas agropecuárias e de conservação ambiental no Estado do Rio de Janeiro. Na Bacia Lagos São João, a microbacia do Rio Roncador, na Serra do Mato Grosso, em Saquarema, foi escolhida como exemplo de boas práticas na gestão rural, no desenvolvimento local no Brasil e por envolver a questão rural e gestão de recursos hídricos.

Visita ao Viveiro Comunitário, em Saquarema. (Foto: Acervo CILSJ)

Visita ao Viveiro Comunitário, em Saquarema. (Foto: Acervo CILSJ)

A visita na microbacia do Rio Roncador foi em meados de setembro, na Pousada Vale dos Sonhos. Participaram do evento membros da Emater-RJ, do Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca de Saquarema, da Associação de Moradores e Amigos do Mato Grosso (AMAMG), da Associação de Pequenos Produtores Rurais de Saquarema (APROSA), do INCRA, e de outras instituições locais.

O engenheiro João Batista, da Emater-RJ, apresentou o Programa Rio Rural que vem se desenvolvendo na microbacia, também assistida pelo Funboas, o Fundo de Boas Práticas do CILSJ (Consórcio Intermunicipal Lagos São João), cuja apresentação foi feita pela engenheira Natália Ribeiro. Agricultores locais participaram do encontro, inclusive dando depoimentos. A comitiva visitou também o Viveiro Comunitário, no Horto Florestal de Sampaio Corrêa.

Rio Capivari

Representantes do CILSJ, WWF-Brasil e HSBC Bank Brasil, parceiros do projeto Atitude Água e Clima no sistema hidrográfico do Rio Capivari, em Silva Jardim, visitaram a microbacia no final de setembro. O objetivo da visita foi apresentar as potencialidades naturais da microbacia do Capivari e as ameaças e problemas encontrados no local. A iniciativa visou ainda conhecer melhor a área onde o projeto será realizado, a comunidade local, a equipe técnica do CILSJ e os resultados alcançados por outros trabalhos já realizados nesta localidade como exemplo de boas práticas.

O projeto Atitude Água e Clima, realizado na microbacia do Rio Capivari, executado pelo Consórcio Lagos São João, recebeu representantes do WWF-Brasil e HSBC Bank Brasil. (Foto: Marcelo Figueiredo/WWF-Brasil)

O projeto Atitude Água e Clima, realizado na microbacia do Rio Capivari, executado pelo Consórcio Lagos São João, recebeu representantes do WWF-Brasil e HSBC Bank Brasil. (Foto: Marcelo Figueiredo/WWF-Brasil)

O Projeto Atitude Água e Clima: Juntos pelo Capivari! prevê iniciativas de restauração florestal, manejo agroecológico de pastagens, saneamento e educação ambiental, com o objetivo de contribuir com a criação das condições necessárias para que seja novamente possível navegar, pescar e nadar em toda a extensão da calha do rio. Estas ações irão contribuir não apenas para a recuperação do Rio Capivari, mas para resgatar a relação das comunidades com esse ecossistema.

O projeto integra a parceria entre o WWF e o HSBC Bank Brasil, em decorrência dos bons resultados obtidos pelo programa HSBC Climate Partnership, com foco na adaptação às mudanças climáticas no Brasil. Através desta parceria, será possível transformar um tema complexo, como as mudanças climáticas, em algo concreto, prático e eficaz, por meio de esforços de comunicação, campanhas de educação ambiental, aprimoramento das políticas públicas e implementação de projetos de campo.

O Grupo HSBC, junto com WWF, há mais de 10 anos, conduz programas ambientais que visam defender rios que proveem água doce, mitigar CO2 em grandes cidades e engajar pessoas na transformação de atitudes. Assim, o programa contribui para a gestão integrada dos recursos hídricos no país e apoia ações de adaptação e recuperação de áreas degradadas nas bacias do Rio Acre, na Amazônia, do Rio São João, no Rio de Janeiro, e Rio Cabaçal, no Mato Grosso. O WWF-Brasil, organização não governamental, tem por objetivo harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade, promovendo o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Sediada em Brasília, desde 1996, a instituição desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, uma das maiores no mundo em conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países.

Comments are closed.