Guardas-parques do INEA combatem incêndios no PECSol

O fogo se alastrou destruindo uma extensa área de rica vegetação nativa. (Foto: Yan Bonder e Luiz Freire)

O fogo se alastrou destruindo uma extensa área de rica vegetação nativa. (Fotos: 1. Yan Bonder e 2. Luiz Freire)

O Instituto Estadual do Ambiente (INEA) deslocou guarda-parques de várias unidades de conservação para combater incêndios no PECSol. Os incêndios ocorreram por causa do longo e atípico período de estiagem na região. Em apenas uma semana, o fogo consumiu uma área de 16 hectares, incluindo partes da restinga da Massambaba, em Praia Seca, Araruama, e do bairro de Vilatur, em Saquarema. Foram várias ocorrências combatidas pelos guarda-parques, que vão permanecer na região até o fim da estiagem.

Além dos 16 hectares atingidos, dos quais 11 da APA Massambaba e 4,7 do PECSol, o fogo também atingiu outros 4 hectares de áreas fora dos limites das unidades de conservação. Os guardas-parques permaneceram na área monitorando toda a área do Parque que se encontra em fase de implantação. Atualmente, o PECSol conta com apenas 2 guardas-parques, contingente que deverá aumentar para 30, após o concurso público que está sendo promovido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. A APA da Massambaba abrange áreas de 3 municípios: Arraial do Cabo, Araruama e Saquarema.

Curso de prevenção e combate a incêndios

A Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Inea realizou, em parceria com a Prefeitura de Arraial do Cabo, um curso de prevenção e combate a incêndios florestais, para formar brigadistas, membros voluntários das comunidades e dos bairros próximos às unidades de conservação. Técnicos do Serviço de Guardas-Parques do INEA ministraram o curso, que incluiu aulas práticas. O ambientalista Yan Bonder, da ONG Viva Lagoa, por exemplo, atuou como um autêntico brigadista e foi um dos primeiros a denunciar os incêndios na Massambaba, inclusive registrando em fotos as labaredas e a fumaça do fogo.

“O trabalho dos brigadistas é da maior importância para o primeiro combate e alerta aos órgãos ambientais, antes que os incêndios se propaguem e provoquem destruição ainda maior da vegetação nativa. Nosso objetivo é promover cursos em todos os municípios que compõem o Parque Estadual da Costa do Sol”, disse o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do INEA, André Ilha.

Entre as espécies que habitam a região do Parque encontra-se a rara Borboleta da Praia e o pássaro Formigueiro-do-Litoral, em extinção. (Fotos: Luiz Freire)

Entre as espécies que habitam a região do Parque encontra-se a rara Borboleta da Praia e o pássaro Formigueiro-do-Litoral, em extinção. (Fotos: Luiz Freire)

Comments are closed.