Rio+20: A Conferência da Nações Unidas sobre o desenvolvimento sustentável

Desde o ano passado vem se intensificando o debate em torno da Rio+20, a Conferência da Nações Unidas sobre o desenvolvimento sustentável, que acontecerá de 20 a 22 de junho de 2012, no Rio de Janeiro. Em junho de 2011, instalou-se a Comissão Nacional para a Rio+20, durante uma reunião co-presidida pelo ministro das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, e pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, com a participação de ministros de Estado, senadores da República, deputados federais, autoridades do Governo Federal, Estadual e da Prefeitura do Rio de Janeiro, além de representantes da sociedade civil.

Desde então, a Comissão Nacional vem promovendo a interlocução entre as diversas esferas de governo e da sociedade civil, com a finalidade de articular os eixos da participação do Brasil na Rio+20. Composta de órgãos da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal, representantes dos poderes Legislativo e Judiciário, representantes do meio acadêmico, do empresariado, dos trabalhadores, de comunidades indígenas e tradicionais, de organizações não governamentais e de movimentos sociais, a Comissão Nacional produziu um documento a ser apresentado na Rio+20, com a contribuição de todos estes segmentos.

No documento, os dois temas estabelecidos pelas Nações Unidas foram contemplados: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e a governança internacional para o desenvolvimento sustentável. Na Conferência, espera-se um grande número de Chefes de Estado e de Governos dos países-membros das Nações Unidas. Mas também haverá, como ocorreu na célebre Rio-92, uma série de eventos temáticos com a participação da sociedade civil. Neste sentido, organizações sociais e movimentos ambientalistas estão se articulando na chamada Cúpula dos Povos da Rio + 20 por Justiça Social e Ambiental, que acontecerá paralelamente à Conferência.

A Câmara Técnica de Educação Ambiental (CTEA) do CBH Lagos São João elaborou suas considerações para a Carta Aberta das Educadoras e Educadores por um mundo feliz, que será apresentada como proposta deste segmento na Rio+20. A Carta destaca as grandes questões tratadas na Rio-92 e reafirma a adesão aos princípios e valores expressos em documentos planetários como o Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, a Carta da Terra, a Carta das Responsabilidades Humanas, a Declaração do Rio, entre outros. Fruto de intenso debate, o documento da CTEA foi encaminhado para a II Jornada Internacional de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global.

Comments are closed.