Câmara Técnica de Saneamento fortalece a luta pela qualidade de vida

A Estação de Tratamento  de Esgoto de Cabo Frio. (Foto: Divulgação)

A Estação de Tratamento de Esgoto de Cabo Frio. (Foto: Divulgação)

A demanda por ações voltadas para o saneamento na região são antigas e hoje não se pode falar de qualidade de vida sem saneamento. Todas as medidas ligadas a este aspecto são debatidas e norteiam os trabalhos da Câmara Técnica Permanente de Saneamento Básico e Drenagem Urbana do Comitê de Bacia Hidrográfica Lagos São João. Oriunda do Grupo de Trabalho Saneamento do Consórcio Intermunicipal Lagos São João, criado em 2000, evoluiu em 2009 para a Câmara Técnica (CT) de Saneamento do Comitê de Bacia Lagos São João. Atualmente, esta CT discute a ampliação da rede de distribuição de água e de tratamento de esgoto na maioria dos municípios da Bacia Hidrográfica Lagos São João, as tecnologias, investimentos em obras e adequação das estações de tratamento das concessionárias – Águas de Juturnaíba e Prolagos – responsáveis também pelo abastecimento de água potável na região.

Antes da reunião da Câmara Técnica de Saneamento na sede da Prolagos, em São Pedro da Aldeia, houve a reunião da Câmara Técnica de Monitoramento. (Foto: Edimilson Soares)

Antes da reunião da Câmara Técnica de Saneamento na sede da Prolagos, em São Pedro da Aldeia, houve a reunião da Câmara Técnica de Monitoramento. (Foto: Edimilson Soares)

Com resultados expressivos, agora alavancados pelo Pacto do Saneamento, que inclui cooperação técnica entre Prefeituras, governo do Estado e União, os municípios estão vivenciando a recuperação do maior corpo hídrico da bacia, a Lagoa de Araruama, num momento favorável de balneabilidade, pois a qualidade de suas águas apresentam indiscutível melhoria. Visando a destinação correta dos efluentes dos municípios, foram construídas 9 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs).

O superintendente da  Águas de Juturnaíba, Carlos Gontijo e a engenheira da Prolagos Ana Paula Medina, que são respectivamente vice-presidentes do CBHLSJ  e do CILSJ. (Foto: Edimilson Soares)

O superintendente da Águas de Juturnaíba, Carlos Gontijo e a engenheira da Prolagos Ana Paula Medina, que são respectivamente vice-presidentes do CBHLSJ e do CILSJ. (Foto: Edimilson Soares)

A engenheira da Prolagos Ana Paula Medina, coordenadora da CT Saneamento, apresentou na reunião de janeiro a sequência de obras, de água e saneamento da concessionária para 2012, dando prosseguimento aos projetos em andamento. As principais obras previstas são: o sistema de abastecimento de água no distrito de Tamoios, a adutora em Monte Alto e Figueira, expansão de redes de água nos municípios, o interceptor de adução de água da Usina, o reforço na adutora sob a Ponte Feliciano Sodré, a captação do valão do aeroporto e a ampliação da ETE Jardim Esperança, com a transposição dos seus efluentes para a bacia do Rio Una. Ana Paula apresentou ainda estudo para antecipar a transposição dos efluentes da margem direita do Canal do Itajuru para serem levados para a ETE Jardim Esperança.

Carlos Gontijo, superintendente da Concessionária Águas de Juturnaíba, apresentou a obra de implantação de sistema separador absoluto no centro de Araruama, que atenderá a 8.200 consumidores, em parceria com alguns condomínios. Cabe a eles participar cedendo tubulação, a empresa com as obras e a prefeitura com a pavimentação das ruas, ele informou que está tudo pronto para começar aguardando apenas a autorização da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (AGENERSA). Há também projeto de esgotamento sanitário de Praia seca, com proposta de adoção de sistema de rede separativa.

A Wetland, da Águas de Juturnaíba, em Araruama  é uma inovação em Estações de Tratamento de Esgotos. (Foto: Edimilson Soares)

A Wetland, da Águas de Juturnaíba, em Araruama é uma inovação em Estações de Tratamento de Esgotos. (Foto: Edimilson Soares)

Por sua vez, o secretário municipal do Ambiente de Arraial do Cabo, David Aguiar, informou que já está sendo analisada no INEA a licença ambiental para a obra de reforma da ETE do município e que alguns bairros serão contemplados com rede separadora e que, para o saneamento em Monte Alto e Figueira, foram aprovados R$ 9,86 milhões do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (FECAM). Estas são as várias conquistas da CT de Saneamento, um desdobramento do Grupo de Saneamento do Consórcio Intermunicipal Lagos São João, que começou a “briga” pelo saneamento, desde 2000, junto à Agência Reguladora de Serviços Públicos, a extinta ASEP, hoje substituída pela AGENERSA, que fiscaliza todas as intervenções neste setor.

Comments are closed.