Jogos Limpos

a vice-presidente do INEA, Denise Rambaldi, ao lado de secretários de meio ambiente e do prefeito de Silva Jardim, Zelão, inaugurando o projeto. (Foto: Dulce Tupy)

a vice-presidente do INEA, Denise Rambaldi, ao lado de secretários de meio ambiente e do prefeito de Silva Jardim, Zelão, inaugurando o projeto. (Foto: Dulce Tupy)

A realização dos Jogos Olímpicos 2016, na cidade do Rio de Janeiro, gerou uma preocupação quanto aos impactos ambientais do evento e, para minimizar, a Secretaria Estadual do Ambiente (SEA), emplacou a ideia de neutralização do carbono, através do plantio aproximado de 24 milhões de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, restaurando aproximadamente 10 mil hectares em áreas degradas no Estado Rio de Janeiro. Compromisso do governo do Estado, através da SEA e do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), o Jogos Limpos deu a largada em Casimiro de Abreu, no Dia da Árvore, quando houve o plantio de 30 mil mudas para recompor a vegetação nativa. A atividade foi realizada em parceria com Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Associação Mico-Leão-Dourado.

A ideia é formar um corredor florestal entre a Reserva Biológica União e outros grandes remanescentes florestais da Serra do Mar, área de ocorrência do mico-leão-dourado e de outras espécies. Além da mitigação do efeito estufa, através da revegetação de áreas, o projeto também está gerando emprego e renda. Inicialmente, serão 2 mil empregos diretos, em atividades de limpeza e cercamento das áreas de plantio, coleta e beneficiamento de sementes, como também produção, plantio e manutenção de mudas. O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, participou do plantio simbólico das mudas, junto com a vice-presidente do INEA, Denise Rambaldi, o prefeito Marcello Zelão, de Silva Jardim, também presidente do Comitê de Bacia Lagos São João, além de vários secretários municipais de meio ambiente, técnicos e ambientalistas.

Comments are closed.