Municípios da Bacia Lagos São João assinam “Pacto pelo Saneamento”

O secretário Minc na cerimônia de assinatura do Pacto do Saneamento com os municípios (Fotos: Edimilson Soares)

O secretário Minc na cerimônia de assinatura do Pacto do Saneamento com os municípios (Fotos: Edimilson Soares)

Até o final do ano, 80% do esgoto de 8 municípios da Bacia Lagos São João terão tratamento, fazendo com que a Região dos Lagos se torne pioneira em termos de efluentes tratados no Estado do Rio de Janeiro. O anúncio foi feito pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, durante assinatura de termos de cooperação técnica com as prefeituras, para elaboração de seus Planos Municipais de Saneamento. Pelo convênio, assinado durante uma cerimônia no Clube Náutico, em Cabo Frio, os municípios receberão apoio financeiro para implantação de redes de esgotamento sanitário, tratamento de água, do lixo e instalação de redes de drenagem.

Visita à ETE do Jardim Esperança, em Cabo Frio, primeira a verter efluentes para o Rio Una

Visita à ETE do Jardim Esperança, em Cabo Frio, primeira a verter efluentes para o Rio Una

O “Pacto pelo Saneamento” foi formalizado com os prefeitos de Araruama, André Mônica, de Saquarema, Franciane Motta, de Iguaba Grande, Oscar Magalhães, de São Pedro d’Aldeia, Carlindo Filho, de Silva Jardim, Marcello Zelão, de Cabo Frio, Marcos Mendes, de Arraial do Cabo, Wanderson Cardoso Motta, e de Búzios, Mirinho Braga. A cerimônia contou com a presença do subsecretário do Ambiente, Luiz Firmino, da presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, do conselheiro da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa), Moacyr Fonseca, do secretário executivo do Consórcio Intermunicipal Lagos São João, Mário Flávio Moreira, do presidente da concessionária de água e esgoto Prolagos, Carlos Roma e dos diretores de Águas de Juturnaíba, Carlos Henrique Lima e Dante Luvisotto, de secretários municipais e vereadores, entre outras autoridades e ambientalistas, como Arnaldo Villa Nova, presidente da ONG Viva Lagoa, pioneiro da luta pela preservação da Lagoa de Araruama.

Firmino, Minc, Marilene e Mário Flávio na visita às obras de desassoreamento do Canal do Itajuru

Firmino, Minc, Marilene e Mário Flávio na visita às obras de desassoreamento do Canal do Itajuru

Antes da assinatura dos convênios, o secretário Carlos Minc e sua comitiva participaram do início da pré-operação assistida da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Jardim Esperança, em Cabo Frio. Responsável pelo tratamento do esgoto produzido na margem esquerda do Canal do Itajuru, esta é a quinta ETE construída na região pela concessionária Prolagos. A unidade é composta por 2 lagoas de aeração e 2 de decantação, com capacidade para tratamento de até 160 litros de esgoto por segundo. A ETE Jardim Esperança é a primeira etapa de um projeto de transposição de bacias, que consiste em lançar os efluentes tratados das ETEs da região no Rio Una, evitando o lançamento de água doce na Lagoa de Araruama, maior lagoa hipersalina do mundo. A transposição para o Rio Una é um projeto sugerido pelo Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), executado pela Prolagos, em parceria com o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

Depois da visita à ETE, o secretário e sua comitiva estiveram no centro de Cabo Frio para ver as obras de desassoreamento do Canal do Itajuru. Preconizadas pelo Consórcio (CILSJ), com o aval do Comitê da Bacia Hidrográfica Lagos São João (CBHLSJ), as obras, no valor de R$ 7 milhões, fazem parte do empenho do Governo do Estado do Rio de Janeiro para recuperar o ecossistema da Lagoa de Araruama. No total, serão removidos do canal hidráulico 2.500 m³ de pedras e 150.000 m³ de areia, visando à melhoria do fluxo das águas mar-lagoa.

Os Planos Municipais de Saneamento, a nova ETE do Jardim Esperança e o desassoreamento do Canal do Itajuru são iniciativas que apontam para o equilíbrio ambiental, demonstrando a eficácia da integração entre o poder público, empresários e sociedade civil organizada.

Comments are closed.