Plenária das ONGs

À esquerda, Arnaldo Villa Nova conduzindo a reunião das ONGs na sede do Consórcio Intermunicipal Lagos São João. Foto: Monique Barcellos

À esquerda, Arnaldo Villa Nova conduzindo a reunião das ONGs na sede do Consórcio Intermunicipal Lagos São João. Foto: Monique Barcellos

A reunião da Plenária de Entidades Não Governamentais da Região dos Lagos (Plenária das ONGs), realizada em março, na sede do Consórcio Intermunicipal Lagos São João, demonstrou grande preocupação com os resíduos sólidos, com os lixões a céu aberto, com o descarte do lixo em córregos e em Áreas de Preservação Ambiental e com a necessidade se implantar nos municípios a coleta seletiva. Foi debatida também a UPA de São Pedro da Aldeia e a construção de um shopping nas margens da Lagoa de Araruama, na Praia das Palmeiras, em Cabo Frio, que vem sendo combatido pela Associação dos Moradores e Amigos de Cabo Frio (AMACAF).

Presidida pelo médico veterinário e ambientalista Arnaldo Villa Nova, a Plenária das ONGs discutiu ainda as obras que estão sendo feitas pelas concessionárias Águas de Juturnaíba e Prolagos, depois da revisão quinquenal dos contratos, a dragagem da Lagoa de Araruama que está em fase de licenciamento e a implantação de monitoramento em toda a Bacia Hidrográfica Lagos São João, com recursos do Comitê.

Foi revelada a preocupação com a queda da salinidade da Lagoa de Araruama, devido ao vazamento da Lagoa de Jacarepiá, em Saquarema, para a Lagoa de Araruama, entre outros fatores, assim como o projeto de renaturalização do Rio São João. Foram informadas irregularidades do Resort Breezes e a possibilidade de angariar recursos de multa da Petrobras para serem aplicados na Apa da Massambaba. No final, foi feita uma apresentação da cartilha “Gênero e Água”, criada pelo cartunista Ziraldo e editada pela GWA (Gender and Water Alliance) em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, uma poderosa ferramenta de educação ambiental.

Comments are closed.