Grandes ações marcam a história da Bacia Hidrográfica Lagos São João

A nova ponte sobre o Canal do Itajuru, em Cabo Frio, teve o vão ampliado de 30 para 300 metros de largura, beneficiando pescadores, moradores, turistas e principalmente o ecossistema. Foto: Monique Barcellos

A nova ponte sobre o Canal do Itajuru, em Cabo Frio, teve o vão ampliado de 30 para 300 metros de largura, beneficiando pescadores, moradores, turistas e principalmente o ecossistema. Foto: Monique Barcellos

O maior corpo hídrico da Bacia Lagos São João é a Lagoa de Araruama. Maior lagoa costeira hipersalina do mundo, com duas vezes a salinidade do mar e riquíssima em biodiversidade, a Lagoa de Araruama sempre foi produtora de sal e abundante em pesca. Mas o crescimento desordenado das cidades nas margens da lagoa, principalmente depois da construção da Ponte Rio-Niterói, nos anos 70, sem que as cidades no entorno da lagoa tivessem infraestrutura necessária para absorver a explosão demográfica, acabou poluindo as águas antes cristalinas.

Em 1999, o surgimento do Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), composto pelas prefeituras locais, empresas e organizações não governamentais (ONGs) marcou uma nova fase na Bacia Hidrográfica Lagos São João, em especial na Lagoa de Araruama. Várias ações foram empreendidas visando à revitalização da lagoa, entre elas a paralisação da extração de conchas, principalmente em Arraial do Cabo, onde se situa a Companhia Nacional de Álcalis, tendo início também o processo de desassoreamento do Canal do Itajuru, em Cabo Frio.

A Estação de Tratamento de Esgoto de Búzios só foi possível se concretizar devido à antecipação das obras de saneamento na região, mediada pelo Consórcio Intemunicipal Lagos São João e pelo Comitê de Bacia. Foto: Divulgação / Prolagos

A Estação de Tratamento de Esgoto de Búzios só foi possível se concretizar devido à antecipação das obras de saneamento na região, mediada pelo Consórcio Intemunicipal Lagos São João e pelo Comitê de Bacia. Foto: Divulgação / Prolagos

A partir de ampla negociação, em 2003, foram repactuados os contratos entre as prefeituras e as empresas concessionárias dos serviços privatizados de abastecimento de água e esgoto, Prolagos e Águas de Juturnaíba, antecipando obras de saneamento previstas para acontecer somente em 2008. Na ocasião, criou-se um sistema de coleta e tratamento de esgoto alternativo, em tempo seco, sem as redes separadoras de água e esgoto, com base nos baixos índices pluviométricos da região. Foram construídas várias Estações de Tratamento de Esgoto e ampliada a rede de abastecimento de água, em praticamente todos os municípios da bacia.

Paralelamente a essa sequência de obras, o Canal do Itajuru, que liga a Lagoa de Araruama ao mar e que era um gargalo impedindo a livre circulação das águas, foi desassoreado e construída uma nova ponte na RJ 106, cujo vão passou de 30 para 300 metros de comprimento. O monitoramento constante da lagoa e um vasto programa de educação ambiental contribuíram também para a recuperação da bacia, particularmente da Lagoa de Araruama que, aos poucos, voltou a ser considerada própria para o banho, beneficiando toda a população, moradores e visitantes, trazendo de volta o turismo sustentável, torneios esportivos diversos, atividades de lazer e pesca.

Mário Flávio, secretário executivo do CILSJ, as coordenadoras de programas Denise Pena e Natália Ribeiro, Jaime Azulay, secretário executivo do Comitê de Bacia e o coordenador de programa Artur Andrade. Foto: Dulce Tupy

Mário Flávio, secretário executivo do CILSJ, as coordenadoras de programas Denise Pena e Natália Ribeiro, Jaime Azulay, secretário executivo do Comitê de Bacia e o coordenador de programa Artur Andrade. Foto: Dulce Tupy

Mas os investimentos não pararam e tornaram-se mais abrangentes. Hoje, uma parceria do CILSJ, delegatária do Comitê de Bacia Hidrográfica Lagos São João (CBHLSJ), com o Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e as concessionárias de água e esgoto viabiliza programas permanentes de monitoramento das Lagoas de Araruama, Saquarema e Rio São João. Também está em andamento um programa de saneamento das lagoas costeiras e outro programa de desassoreamento, em fase de implantação nas lagoas de Araruama e Saquarema.

Por outro lado, está em fase de regulamentação o programa de gestão de resíduos sólidos, em parceria com o INEA/Secretaria Estadual do Ambiente, que visa a implantação de um Aterro Sanitário Regional, para atender inicialmente três municípios: Saquarema, Araruama e Silva Jardim. Além dessas, várias iniciativas estão sendo tomadas no sentido do desenvolvimento sustentável na bacia, entre elas o balizamento do Canal do Itajuru, para torná-lo navegável de Cabo Frio a São Pedro da Aldeia, assim como estudos dos sedimentos da Boca da Barra, em Cabo Frio, para uma possível engorda das praias, demonstrando atitude sistemática do CILSJ, pela preservação do meio ambiente.

Leia na próxima edição tudo sobre os três Subcomitês da Bacia Hidrográfica Lagos São João: Araruama, São João e Saquarema

Comments are closed.